Gestão 2022-2024 da AGB-Campinas toma posse

Da Comissão de Comunicação e Eventos da AGB-Seção Campinas

Ocorreu na quinta-feira, dia 9 de junho, a assembleia de posse da Gestão 2022-2024 da AGB-Campinas, eleita com 27 votos. A associação será dirigida, no próximo biênio, pela seguinte diretoria:

  • Rogério Bezerra da Silva — diretor
  • Vicente Eudes Lemos Alves — vice-diretor
  • Heloisa Santos Molina Lopes — primeira secretária
  • Jessica Aparecida dos Santos Rodrigues — segunda secretária
  • Paulo Roberto da Silva Rufino — primeiro tesoureiro
  • Igor Cauê Vieira de Oliveira Pinto — segundo tesoureiro
  • Jéssica da Silva Rodrigues Cecim — coordenadora de publicações
  • Gabriel Rocha Castanheira — vice-coordenador de publicações

A Comissão de Comunicação e Eventos será coordenada por:

  • Gustavo Glodes Blum
  • Marina Sbrocco
  • Natalie Freitas
  • Rafael Henrique de Moura
  • Roberta Custodio Cavedini

E a Comissão de Acervo e Memória será coordenada por:

  • Deyse Cristina Brito Fabricio
  • Jahan Natanael Domingos Lopes
Foto: Paulo Rufino/AGB-Campinas

Diante do contexto político-institucional brasileiro atual, são três os compromissos assumidos pela Gestão 2022-2024:

  • reforçar as bases da Seção Local da AGB, buscando integrar ainda mais geógrafas e geógrafos que tenham o desejo de participar dessa Associação;
  • fazer convergir os esforços da AGB-Campinas no sentido de reforçar a entidade em seu âmbito nacional, estreitando sua atuação e relevância junto às geógrafas e aos geógrafos, à comunidade científica, à sociedade brasileira e aos demais movimentos e organizações sociais de resistência e de luta política;
  • atuar, junto aos movimentos sociais, na luta e resistência contra o avanço de organizações fascistas no âmbito da sociedade brasileira.

Rogério Bezerra da Silva, que assume a direção da AGB-Campinas, diz que “o principal objetivo da AGB-Seção Campinas é reforçar os vínculos entre as Geógrafas e os Geógrafos com os movimentos sociais, de modo a congregar esforços na defesa de pautas essenciais para a melhoria e mudança da vida dos brasileiros e brasileiras, como a defesa do SUS público e universal, a educação pública e gratuita em todos os seus níveis, a ciência e tecnologia pública e, sobretudo, o direito à cidade”.

O obscurantismo, o autoritarismo e as lógicas mais perversas da globalização neoliberal, que caminham pari passu com as ideologias fascistas, passaram a vigorar em quase todos as esferas públicas e privadas, o que faz emergir uma situação de profunda crise no interior da formação socioespacial brasileira, que se manifesta no agravamento das desigualdades sociais e territoriais, no descaso e no desprezo pelo conhecimento científico, no estabelecimento do ódio às minorias e aos grupos invisibilizados como ferramenta política de governantes e a legitimação de ações violentas no interior da sociedade civil. Assim, o tempo presente nos desafia, em especial as geógrafas e geógrafos, a termos ainda mais uma postura política firme e clara, coesa e potente. E é essa postura que a Gestão 2022-2024 da AGB-Seção Campinas pretende ter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.