Chapa apresenta plano de trabalho para a gestão 2022-2024 da AGB-Campinas

A Comissão Eleitoral, nos termos do Edital AGB-Campinas 01/2022, torna público o plano de trabalho apresentando pela chapa única que concorre à eleição para a Diretoria da AGB-Campinas no biênio 2022-2024.

A eleição acontece por meio virtual nos dias 8 e 9 e junho. Os associados receberão o link no e-mail cadastrado junto à seção local e ficam convocados para a assembleia geral de posse no dia 9 de junho, às 18 horas, na sede da AGB-Campinas, no Instituto de Geociências da Unicamp.

Além dos oito cargos previstos no estatuto, a chapa congrega outros sete integrantes em duas comissões:

CHAPA

DIRETOR Rogério Bezerra da Silva
VICE-DIRETOR Vicente Eudes Lemos Alves
PRIMEIRA SECRETÁRIA Heloísa Santos Molina Lopes
SEGUNDA SECRETÁRIA Jéssica Aparecida dos Santos Rodrigues
PRIMEIRO TESOUREIRO Paulo Roberto da Silva Rufino
SEGUNDO TESOUREIRO Igor Cauê Vieira de Oliveira Pinto
COORDENADORA DE PUBLICAÇÕES Jéssica da Silva Rodrigues Cecim
VICE-COORDENADOR DE PUBLICAÇÕES Gabriel Rocha Castanheira

COMISSÃO DE COMUNICAÇÃO E EVENTOS
Gustavo Glodes Blum
Marina Sbrocco
Natalie Freitas
Rafael Henrique de Moura
Roberta Custorio Cavedini

COMISSÃO DE ACERVO E MEMÓRIA
Deyse Cristina Brito Fabricio
Jahan Natanael Domingos Lopes

APRESENTAÇÃO

Apresentamos nossa candidatura à Diretoria Executiva Local da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) Seção Campinas, para o biênio 2022-2024. Com tal proposição, reafirmamos o compromisso, já assumido pelas gestões anteriores da entidade, de manter viva a história desta importante organização científica. Não só no âmbito desta seção local, da qual fazemos parte, como também da entidade nacional que ela integra e é uma instituição fundamental.

Compreendemos que, diante do contexto político-institucional brasileiro atual, teremos três grandes compromissos durante a gestão 2022-2024:

  1. reforçar as bases da Seção, buscando integrar ainda mais geógrafas e geógrafos que tenham o desejo de participar dessa Associação;
  2. fazer convergir os esforços da AGB-Campinas no sentido de reforçar a entidade em seu âmbito nacional, não só contribuindo para a construção de seu mais importante evento, o Encontro Nacional de Geógrafos, como sobretudo para sua atuação e relevância junto às geógrafas e aos geógrafos, à comunidade científica, à sociedade brasileira e aos demais movimentos e organizações sociais de resistência e de luta política;
  3. atuar, junto aos movimentos sociais, na luta e resistência contra o avanço de organizações fascistas no âmbito da sociedade brasileira.

A proposição dessa chapa para a diretoria da AGB-Campinas, desse modo, revela-se ainda mais crucial devido à situação dramática da conjuntura política brasileira. O obscurantismo, o autoritarismo e as lógicas mais perversas da globalização neoliberal, que caminham pari passu com as ideologias fascistas, passaram a vigorar em quase todos as esferas públicas e privadas, o que faz emergir uma situação de profunda crise no interior da formação socioespacial brasileira, que se manifesta no agravamento das desigualdades sociais e territoriais, no descaso e no desprezo pelo conhecimento científico, no estabelecimento do ódio às minorias e aos grupos invisibilizados como ferramenta política de governantes e a legitimação de ações violentas no interior da sociedade civil. Assim, o tempo presente nos desafia, em especial a nós, geógrafas e geógrafos, assim, visa-se a termos ainda mais uma postura política firme e clara, coesa e potente.

Conforme a gestão visa incentivar o ensino, a pesquisa e a extensão tem-se duas comissões que advogam esse compromisso: a comissão de eventos e comunicação, ao que concerne estimular a circulação do pensamento humano através de atividades em geral e, inclusive, as inter-relações para com a seção local; e, também, a comissão de acervo e memória, a partir da organização da materialidade histórica pertencente à seção local e memorizar a entidade como um todo a partir da construção e divulgação de materiais a partir do acervo. Nisso, tem-se compromisso com o futuro da Geografia, formando e reformando os estudantes de todos os níveis, fortalecendo o conhecimento em todos seus horizontes de possibilidades. Para tanto, tais comissões têm o dever primeiro com a circulação e divulgação de conhecimento solícito a toda comunidade geográfica local, nacional e global.

Por esses motivos, a proposição desta candidatura, que, além de novas ações, também pretende dar continuidade aos bons trabalhos implementados pela gestão anterior, no presente momento histórico, deve se comprometer a reafirmar e potencializar sua relevância nos debates e nas ações que visem a defesa e construção de uma ciência geográfica comprometida com a construção de uma sociedade brasileira mais justa e igualitária, plural e diversa. Por essas e tantas outras razões, uma AGB sólida e democrática, um rigoroso fazer geográfico, uma ação política diligente e o estabelecimento de laços sociais mais tolerantes e solidários nunca foram tão imprescindíveis. É fundamental tanto continuarmos unidos e permanecermos juntos quanto traçarmos novos horizontes e caminhos comuns.

Diretrizes e objetivos da gestão:

  1. Tornar a AGB-Campinas cada vez mais ativa, organizada, diversa e plural em suas ações políticas, de modo que a entidade se mostre ainda mais relevante nos debates postos nos contextos local e nacional;
  2. Promover eventos científicos, políticos e culturais que visem a integração dos associados à AGB-Campinas, a visibilização e apresentação da entidade para os não associados;
  3. Reforçar a política financeira da entidade, principalmente por meio de ações de filiação de novos associados;
  4. Manter a política de publicações da AGB-Campinas por meio de sua revista científica, o Boletim Campineiro de Geografia (BCG);
  5. Solidificar e ampliar a política de comunicação desenvolvida no decorrer da última gestão, tanto com base no site e rede de contatos pessoais dos associados da entidade, quanto se valendo das diversas mídias sociais e materiais físicos de divulgação das atividades da AGB-Campinas;
  6. Participar ativamente dos significativos debates políticos da Região Metropolitana de Campinas, sempre apoiando e tomando lado dos movimentos sociais dos trabalhadores, de minorias e grupos historicamente oprimidos e silenciados;
  7. Contribuir para a construção da AGB em seu nível local e regional, retomando o diálogo com as escolas da PUC-Campinas e da Unesp-Rio Claro, e nacional, participando das Reuniões de Gestão Coletiva (RGCs), apoiando a realização dos seus eventos mais importantes, em especial o Encontro Nacional dos Geógrafos (ENG);
  8. Indicar e enviar, sempre que possível, representantes da AGB-Campinas para participação em fóruns de discussão e em atividades de intervenção no âmbito nacional e local;
  9. Realizar os esforços necessários para que se volte a regularizar a AGB-Campinas segundo as normas que regem as associações e organizações civis, segundo as regras jurídicas ainda em vigor no Estado brasileiro;
  10. Incentivar ações que visem a recriação dos GTs da AGB-Campinas, principalmente o de Educação e Ensino, de modo que se busque sempre reforçar a defesa dos professores e sua voz dentro entidade;
  11. Manter e ampliar os projetos envolvendo bolsistas de apoio da AGB-Campinas;
  12. Estabelecer vínculos com as entidades estudantis, sobretudo as dos cursos de Geografia, de modo a fortalecer a Associação;
  13. Salutar a pesquisa e a extensão a partir das seguintes comissões: evento e comunicação / acervo e memória. Estabelecendo eventos em geral e divulgando materiais históricos que auxiliam a formação política e acadêmica;
  14. Organizar, através da comissão de acervo e memória, o material bibliográfico presente na entidade, catalogando-o e divulgando-o. Em vista de eternizar o conhecimento material e imaterial da associação através da seção local de Campinas;
  15. Constituir redes entre geógrafos e geógrafas voltadas a dar maior visibilidade a oportunidades de emprego e trabalho nas diversas áreas de formação das e dos profissionais;
  16. Constituir vínculos com as Câmaras Municipais da Região Metropolitana de Campinas de modo a contribuir com os debates sobre políticas públicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.