Neli Mello-Théry (1955—2021)

Comunicamos, com pesar, o falecimento da geógrafa Neli Aparecida de Mello Théry, aos 65 anos, em Paris.

Natural de Olímpia (São Paulo), formou-se em Geografia na Universidade Federal de Goiás em 1978. A trajetória familiar que a levou, ainda menina, do estado de São Paulo para Goiás foi descrita por seu marido, o geógrafo Hervé Théry, com quem manteve uma profícua colaboração, quando de falecimento de seu pai Messias Lopes de Mello, em 2015, no texto História de um pioneiro brasileiro, publicado na Confins, a Revista Franco-Brasileira de Geografia, e também em francês.

A jovem Neli fez carreira no serviço público, no extinto Instituto de Desenvolvimento Urbano e Regional do Estado de Goiás (1975-1985), no Conselho Nacional do Desenvolvimento Urbano, no então Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (1985-1987), e no IBAMA (1987-1991). Foi também consultora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (1991-1999) e fez Mestrado em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília, defendido em 1997. Neste período, também ministrou disciplinas no curso de Geografia da UnB. No ano seguinte, foi para Paris, onde fez outro mestrado, na Université Paris Nanterre, sob orientação de Alain Dubresson. Em seguida, prosseguiu para o doutorado, sob orientação de Wanderley Messias da Costa e Alain Musset, defendido em 2002 em cotutela. A tese recebeu o nome de Políticas públicas territoriais na Amazônia brasileira: conflitos entre conservação ambiental e desenvolvimento. Desde 2005, era professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, no curso de Gestão Ambiental, e orientava pesquisas de pós-graduação nos programas de Geografia Humana e Ciência Ambiental.

A Associação dos Geógrafos Brasileiros — Seção Campinas se solidariza com a família, com amigos, alunos e orientandos da grande professora Neli.

Diretoria Executiva Local, 6 de abril de 2021.


Leia mais: Após luta contra o câncer, professora Neli Aparecida de Mello-Théry falece em Paris, França


Durante a pandemia de covid-19, a professora Neli estava afastada para tratamento médico. Estava refletindo sobre a crise provocada pela pandemia. Na edição de outubro de 2020 da Pesquisa Fapesp (Ciência sob pressão), foi entrevistada a respeito dos efeitos das disputadas políticas nas estratégias de controle do coronavírus. Como registro recente, deixamos a entrevista e também a live organizada pelos colegas do Laboratório de Geografia Política da USP.

1 comentário em “Neli Mello-Théry (1955—2021)

  1. Obrigado pela homenagem, precisa e bem informada.
    Para Neli a açao da AGB sempre foi muyito importante
    Hervé Théry

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *