Correios, logística e usos do território brasileiro

A AGB-Campinas recomenda a leitura do recém-lançado livro Correios, Logística e Usos do Território Brasileiro (Consequência, 2021, R$ 45), de autoria do geógrafo Igor Venceslau.

Igor, que faz parte do Conselho Editorial do Boletim Campineiro de Geografia, publicação da AGB-Campinas, no último dia 26 de maio nos ofereceu a palestra Correios e usos do território: riscos da privatização e projetos e disputa.

O prefácio é da professora Mónica Arroyo, orientadora de Igor no Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da USP. O professor Ricardo Castillo, da Unicamp, assina a “orelha” da obra:

Em momento oportuno, quando o Brasil vive um dos períodos mais trágicos de sua história e as instituições e serviços públicos são atacados e injustamente aviltados, vem a público o livro Correios, logística e usos do território brasileiro, do geógrafo Igor Venceslau, mestre em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo. Fundamentado em exaustiva e rigorosa pesquisa científica, envolvendo levantamento bibliográfico, consulta a bases de dados e trabalhos de campo, Igor Venceslau traz à tona duas características indissociáveis da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, que nenhuma empresa privada seria capaz de reunir. A primeira decorre de um histórico de excelência na prestação de serviços postais e de integração, pioneira, diga-se de passagem, do território brasileiro que, décadas mais tarde, possibilitou sua reinvenção como uma proficiente empresa de logística, diante das transformações recentes das instâncias da distribuição e da comercialização, particularmente com a emergência do comércio eletrônico. A segunda característica, possibilitada por seu caráter público, é o papel imprescindível que esta empresa desempenha, tanto na garantia da mobilidade geográfica como direito inalienável de todos os brasileiros, inclusive os mais vulneráveis, quanto na extensão da acessibilidade a todos os lugares, inclusive os mais recônditos, independentemente de sua viabilidade econômica. Correios, logística e usos do território brasileiro reúne todos os principais argumentos que explicam o porquê devemos preservar os Correios como empresa pública federal, num país cujo território, além de ser o quinto mais extenso do mundo, é marcado por grande diversidade natural e social e profundas desigualdades regionais e econômicas. Somente uma empresa pública e eficiente como os Correios, que não se pauta somente pelo lucro, mas ainda assim é lucrativa, pode lidar com a complexidade do território brasileiro e servir de instrumento para políticas de inclusão social e geográfica. 


A Editora Consequência promove o evento de lançamento do livro na terça-feira, 13 de julho, às 19 horas, com presença do autor, dos geógrafos Mónica Arroyo e Ricardo Castillo e de Maria Inês Capelli, da Associação dos Profissionais dos Correios:


Recentemente, a AGB-Campinas publicou a Moção de Repúdio ao PL nº 591/2021 e à Privatização dos Correios, também assinada pela Diretoria Executiva Nacional da Associação dos Geógrafos Brasileiros e pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia — ANPEGE.

Igor também publicou um texto sobre o livro no OutrasPalavras:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *