Ana Maria Marangoni (1942—2021)

Com pesar, informamos o falecimento, em decorrência de complicações da covid-19, aos 78 anos, da geógrafa Ana Maria Marques Camargo Marangoni. Natural de Itararé, município na divisa de São Paulo com o Paraná, lá formou-se no curso normal e como técnica em contabilidade, em 1962. Na Universidade de São Paulo, gradou-se em Geografia em 1966 e doutorou-se em 1983, com a tese O governo planejador e as transformações do espaço brasileiro, orientada por Pasquale Petrone (1924-2011). Naquela universidade também fez sua carreira profissional, inicialmente como auxiliar de geógrafo (1964-1969), geógrafa (1969-1991), período em que coordenou o Laboratório de Geografia Humana, e professora doutora (1991-1997). Aposentou-se em 1997, mas manteve-se orientando pesquisas de pós-graduação.

A AGB-Campinas, assim como toda a comunidade geográfica brasileira, está consternada com o falecimento da professora Ana Maria Marangoni ocorrido neste momento de agravamento da pandemia de covid-19, e compartilha o pesar com sua família, seus amigos, seus ex-alunos e seus ex-orientandos.

Diretoria Executiva Local, 5 de abril de 2021

6 comentário em “Ana Maria Marangoni (1942—2021)

  1. Grande perda para a Geografia brasileira e paulista. Foi minha orientadora e amiga sempre presente; disponível e generosa contribuiu com seu vasto conhecimento para diversos projetos executados por órgãos públicos. É extensa sua atuação em políticas públicas assim como na vida acadêmica. Uma tristeza.

  2. Grande professora. Integra. Culta. Geógrafa de primeira linha. Defensora dos grandes princípios da geografia.

  3. Ana Maria que eu tive o prazer em conhecê-la ,a pessoa mais sabia e generosa que eu conheci, sempre estará presente no meu coração.

  4. Quanta tristeza!!! Professora Ana Maria inesquecível!! Tive o imenso prazer de conviver com este ser magnífico que me orientou em todo meu período de doutoramento na USP. Inteligência singular. Perda irreparável!!!

  5. Que triste! Minha orientadora na graduação em Geografia, uma Querida! Ainda hj, décadas depois, lembro do seu entusiasmo e sorriso fácil… Esteja em paz, minha Mestra!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.