Comemorações dos 30 anos da AGB-Campinas e do Dia dos Géografos na Unicamp

Esta semana será especial. Todxs na Unicamp!

Apresentamos a programação da comemoração dos 30 anos da AGB-Campinas e do dia dos geógrafos na Unicamp! Compareça às atividades, organizadas pelo Departamento de Geografia e Programa de Pós-Graduação em Geografia da Unicamp e a AGB-Campinas.

Dica: nestes dias, a Editora da USP estará na Unicamp vendendo livros (entre os quais, diversos títulos geográficos) com 50% de desconto, das 10h às 21h, no Ciclo Básico II (PB). Veja mais.


05 de junho (quarta-feira)

9h – 12h (sala IG216)
Roda de conversa AGB-Campinas, 30 anos: trajetórias e perspectivas, com diretores e ex-diretores da associação

13h30 – 16h30
Oficinas no Instituto de Geociências. Faça sua inscrição!

16h30 – 18h (sala IG212)
Mesa-redonda “Transformações recentes no território moçambicano e perspectivas de pesquisa” – os doutorandos em Geografia Lucrêncio Macarringue e Pedro Arrone discutirão suas práticas enquanto geógrafos, a partir de suas investigações, e a Geografia de seu país, Moçambique. Faça sua inscrição!

19h – 22h (Auditório Marielle Franco do IFCH/Unicamp)
Conferência com Armen Mamigonian: A região em debate: América Latina e África no contexto geopolítico do século XXI –
o professor Armen Mamigonian, de família armênia, nascido em São Paulo em 1935, é graduado em Geografia e História pela USP (1956) e doutor em Geografia Industrial pela Universidade de Estrasburgo (1962). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. O coordenador da atividade será o professor Vicente Eudes Lemos Alves, diretor da AGB-Campinas. Faça sua inscrição!


06 de junho (quinta-feira)

18h30 – 21h30 (Auditório da Adunicamp)
Cinedebate Ken Saro-Wiwa, Presente!

A sessão do documentário Ken Saro-Wiwa, Presente! terá início às 18h30 da quinta, no Auditório da Adunciamp. Ken Saro-Wiwa foi um reconhecido escritor e ativista nigeriano que liderou um movimento de resistência pacífica contra práticas de racismo ambiental e genocídio de minorias étnicas na região do Delta do Níger, na Nigéria. Em 1995, foi morto por conta de sua militância contra a exploração abusiva de petróleo operacionalizada por corporações multinacionais em conluio com as elites do governo nigeriano. Através de entrevistas com artistas, ativistas e familiares, o documentário apresenta sua história, os impactos causados pela exploração de petróleo no Delta e a relevância política e cultural de projetos artísticos em Londres dedicados à sua memória.

A sessão será seguida de um debate com o público, com início previsto às 20 horas, com a diretora do filme, a geógrafa Elisa Dassoler, e o Grupo de Estudos Africanos em Geografia da Unicamp (GEAG). Imperdível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *