AGB-SP contra o fascismo nas eleições de 2018!

A AGB-São Paulo divulgou ontem o documento:

A conjuntura política brasileira entra novamente em um estágio crítico. As próximas eleições para os chefes do executivo e membros do legislativo, federal e estaduais, se revestem de especial importância, dada a polarização explícita dos debates, que perfila, de um lado, candidatos e partidos com ideias e práticas políticas abertamente preconceituosas, elitistas e fascistas, e de outro lado, um amplo leque de candidatos e partidos mais abertamente compromissados com as causas democráticas, populares, includentes e emancipadoras da população brasileira.

A AGB-SP vem a público nesta nota reiterar sua posição histórica progressista, sempre atenta aos principais problemas nacionais, e engajada no movimento de transformação estrutural da sociedade e do território brasileiros, tão marcados por desigualdades, arbitrariedades e manutenções de elites políticas e econômicas que pouco têm a apresentar para a melhoria efetiva da vida cotidiana da maior parte dos brasileiros.

Para além dos fóruns de reflexão, debate e ação política que a AGB/SP sempre tem promovido, vimos através desta convocar tod@s @s associad@s e simpatizantes da Associação a se engajarem nestas próximas semanas de disputa que viveremos, juntando-se às panfletagens, manifestações de rua, de associações, sindicatos e partidos políticos que também têm uma história de lutas pelo avanço das conquistas democráticas e da inclusão social no país. Vale mencionar nossa participação e apoio total ao recente protesto de dimensão nacional – e internacional – contra o candidato que mais diretamente representa o avanço do fascismo no Brasil: “Ele Não!”.

Não podemos em hipótese alguma deixar que retrocessos do ponto de vista dos direitos civis, trabalhistas, previdenciários, de acesso à moradia e à saúde pública, sejam ainda mais aprofundados. Não podemos em hipótese alguma deixar que a lógica neoliberal se aproprie de vez do aparelho de Estado, privatizando empresas que são lucrativas e garantem a possibilidade de um desenvolvimento econômico em bases nacionais/populares. Não podemos em hipótese alguma permitir que movimentos de patrulha ideológica aumentem ainda mais o achatamento do livre debate nas escolas e universidades. Não podemos em hipótese alguma permitir que a homofobia, a misoginia, o racismo, entre outros tipos de preconceito definam comportamentos político-sociais, preconceitos que são intoleráveis num Estado Democrático de Direito. Não é admissível que estes comportamentos sigam tendo respaldo por parte dos representantes políticos e da sociedade em geral.

É por estes motivos que a Associação dos Geógrafos Brasileiros / Seção São Paulo, vem a público gritar: não ao fascismo nas eleições de 2018!

Associação dos Geógrafos Brasileiros – Seção São Paulo (AGB/SP) – Diretoria Geografia, Democracia e Luta 2018-2020

São Paulo, 3 de outubro de 2018

PDF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *