Milton Santos: do Vautrin-Lud ao Google Doodle

‘Google Doodle’ de 1º de outubro homenageou o geógrafo Milton Santos

Gustavo Teramatsu / AGB-Campinas

O Google surpreendeu nessa segunda-feira, 1º de outubro de 2018, com um “google doodle” em homenagem ao geógrafo Milton Santos (1926-2001). Os doodles são alterações temporárias em seu logotipo em razão de datas comemorativas, eventos e personalidades.

O texto oficial da empresa californiana destaca a carreira acadêmica de mais 50 anos dedicados à Geografia e indica que nessa data, há 24 anos, em 1994, Santos foi o primeiro geógrafo não-anglófono a receber o prêmio Vautrin-Lud, na França (inicialmente, a homenagem foi divulgada como comemoração ao seu 92º aniversário, ocorrido em maio). Além disso, faz referência ao livro A Natureza do Espaço, que ganhou o Prêmio Jabuti em 1997, e à publicação do texto O papel ativo da Geografia: um manifesto, em 2000.

A homenagem foi noticiada em diversos sites, como o G1, Galileu e TechTudo (da Globo), o El País (republicado pelo portal do ex-presidente Lula), o Correio (jornal baiano) e a Istoé, e já está no verbete da Wikipédia sobre o geógrafo.

O prêmio Vautrin-Lud de Milton Santos

Em outubro de 1994, o jornal o Estado de São Paulo publicou reportagem de Roldão Arruda (veja na imagem abaixo) sobre o prêmio que Milton Santos recebera no Festival Internacional de Geografia em Saint-Dié-Des-Vosges, na França, no início daquele mês [leia aqui texto de Georges Benko e Ulf Strohmayer sobre o evento], com depoimentos dos geógrafos Maria Adélia de Souza, Aziz Ab’Sáber e Ricardo Castillo. O texto indica que após receber o prêmio, Milton Santos não parava de “receber cumprimentos e pedidos de entrevistas”, o que rendeu participações bem conhecidas ainda hoje, como o programa Jô Soares Onze e Meia em 1995 e no Roda Viva, em 1997.

Para a geógrafa Flávia Grimm, que dedicou tese de doutorado ao pensamento de Milton Santos, o prêmio por ele recebido em 1994 “contribuiu para a visibilidade de seus trabalhos nos meios não acadêmicos. A partir de então, cerca de 50 artigos foram publicados até o ano de 2001 (na década de 1980 foram aproximadamente dez). Entre 1999 e 2001, foi colunista do jornal Folha de São Paulo e, a partir de julho de 2000 até junho de 2001, teve também coluna no jornal Correio Braziliense. Dentre os temas abordados destacamos o papel da geografia frente aos debates do país, direitos humanos, a importância e os problemas da educação e, sobretudo, aspectos da federação e a fragilidade do território brasileiro devido a essa ausência de projeto nacional”.

Clique para ampliar


Milton Santos recebe o Prix Vautrin-Lud (Fonte: acervo pessoal do geógrafo)

Lucas Melgaço e Carolyn Prouse, em 2017, em texto intitulado “Milton Santos and the centrality of the periphery”, assinalaram que Milton Santos era até então o único agraciado com o prêmio considerado o “Nobel da Geografia” fora do eixo Europa-América do Norte. Naquele mesmo ano, o nigeriano Akin Mabogunje, da Universidade de Ibadan e ex-presidente da União Geográfica Internacional, quebrou esse tabu e se tornou o segundo geógrafo do Sul Global a ser indicado para Vautrin-Lud.

Jacques Lévy receberá o Vautrin-Lud 2018 nesta semana

Em junho, soubemos que o geógrafo francês Jacques Lévy será laureado com Prix Vautrin-Lud neste ano no Festival Internacional de Geografia, que acontecerá no próximo fim de semana (5 a 7 de outubro) em Saint-Dié-des-Vosges.

Lévy foi entrevistado em 2014 para o Boletim Campineiro de Geografia, periódico da AGB-Campinas. Leia a entrevista.

Outros dois geógrafos premiados também foram entrevistados pelo Boletim Campineiro: David Harvey e Horacio Capel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *