Mesa-redonda discute a produção cultural da periferia no período popular da história

A mesa-redonda Produção cultural da periferia: interpretações e perspectivas sobre o RAP, funk e literatura marginal no período popular da história é uma proposta de  debate multidisciplinar sobre a produção cultural feita na e para a periferia no período atual. Esses movimentos de diferentes gerações compartilham vivências, paradigmas e possibilidades, porém, diante das contradições e das adaptações às políticas de vertente neoliberal, como o RAP, o Funk e a Literatura Marginal se mantém como expressões artísticas e culturais nas quebradas das grandes cidades?

Participam da mesa-redonda:

  • Beatriz Marques da Silva, estudante de Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (FE/Unicamp). Iniciou seus estudos sobre Funk em 2014, sendo seu objeto de pesquisa até 2016, realizando duas iniciações científicas sobre a temática. Atualmente se dedica aos estudos sobre produções científicas na pós-graduação acerca da Juventude.
  • João Augusto Neves Pires, professor da Escola Técnica Estadual Pedro Ferreira Alves (Mogi Mirim/SP), mestre em História Social pela Universidade Federal de Uberlândia (INHIS/UFU), doutorando em História na Universidade Estadual de Campinas (IFCH/Unicamp) e bolsista Fapesp. Pesquisa na área de Política, Memória e Cidade as práticas culturais periféricas e as performances circunscritas ao Funk e ao Punk/Hardcore. Inserido em coletivos de mídia livre desenvolve projetos de artes, tecnologias digitais, educação e culturas populares. 
  • Silvio Rogério dos Santos, ou Silvio Shina, é um sujeito periférico, fanzineiro, escritor, anarquista, ativista cultural e dos direitos humanos e entusiasta da cultura feita nas periferias. Foi um d@s fundad@res do Núcleo de Consciência Negra da Unicamp, onde se formou bacharel em Antropologia e onde atualmente cursa Sociologia. É pesquisador da produção político-cultural das periferias, em especial os coletivos literários. Suas áreas de interesse são Pensamento Pós-Colonial, Estudos Culturais, Antropologia Urbana, Antropologia Social, Estudos Subalternos, Estudos Étnicos, Pensamento Social Brasileiro e Pensamento Social da América Latina.
  • Mauricio Moysés, MC, poeta e arte educador. Graduado e mestre em Geografia pela Unicamp, onde atualmente desenvolve tese de doutorado. Desenvolve pesquisas junto ao Laboratório de Investigações Geográficas e Planejamento Territorial (Geoplan) do Instituto de Geociências, nas áreas de Geografia Urbana e Planejamento Territorial.

Também será exibido e debatido o documentário “É o Fluxo”, dirigido por João Augusto Neves (um dos palestrantes) e Roberto Camargos, sobre a cena funk em Uberlândia (MG).

A atividade é gratuita e aberta a todos os interessados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *