O circuito espacial produtivo da vacina no Brasil: a ocorrência da pandemia Influenza A e a dispersão da vacina H1N1 no território

  • Mait Bertollo Universidade de São Paulo

Resumo

O aprofundamento da especialização produtiva em cada porção do espaço geográfico e a integração territorial de todo o sistema econômico, produtos do capitalismo corporativo atual, traz a possibilidade concreta de unificação de setores industriais mediante o uso das redes de transportes, redes de comercialização e acesso às informações instantaneamente. Seus centros são estrategicamente distribuídos em determinadas metrópoles e, segundo essa dinâmica, apresentaremos alguns resultados da pesquisa sobre os fixos de saúde produtores de vacinas no território brasileiro, especificamente a indústria de base química e biotecnologia produtoras e dispersoras dos vários e distintos tipos de vacinas, configurando circuitos espaciais produtivos e círculos de cooperação constituídos por instituições públicas e privadas. 

Biografia do Autor

Mait Bertollo, Universidade de São Paulo
Mestranda do programa de pós graduação do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.
Publicado
2012-11-19
Seção
Artigos