Comunidades tradicionais e educação escolar

uma análise do currículo de Geografia do Estado de São Paulo (2011-2020)

  • Lisângela Kati do Nascimento UFABC

Resumo

Esse artigo tem por objetivo principal tematizar o papel do currículo escolar no reconhecimento e valorização da identidade sociocultural de alunos oriundos de comunidades tradicionais, a partir dos resultados da pesquisa de pós-doutorado desenvolvida no Programa de Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo que teve como recorte espacial a região do Vale do Ribeira, local onde se concentra o maior número de comunidades tradicionais do estado de São Paulo, incluindo quilombolas, caboclos, indígenas e caiçaras. Partindo do princípio de que a escola deve ser o espaço da diversidade e entendendo que a identidade sociocultural dos povos e comunidades tradicionais é estruturada a partir do seu modo de vida e, portanto, atrelada ao território em que vivem e à forma como utilizam os recursos naturais, analisaremos em que medida o currículo de Geografia para as escolas públicas do estado de São Paulo, em vigor de 2011 até 2020, contemplou essas questões.

Biografia do Autor

Lisângela Kati do Nascimento, UFABC

Professora da Universidade Federal do ABC (UFABC). É Cientista Social com mestrado e doutorado em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutoradamento pelo Núcleo de Pesquisa sobre Populações Humanas em Áreas Úmidas Brasileiras (NUPAUB) vinculado ao Programa de Ciência Ambiental da SP.

Publicado
2022-04-06
Seção
Artigos