Ocupação Vila Soma (Sumaré/SP): resistência à cidade corporativa e luta pela cidadania territorial

  • Antonio Douglas Campos da Silva Cotuca/Unicamp
  • Isadora Garcia FEC/Unicamp
  • André Pasti PPGH/USP

Resumo

A urbanização brasileira contemporânea é marcada pelo projeto dominante da cidade corporativa — acompanhada por um agravamento das desigualdades socioespaciais, pela ausência de cidadania e pela pobreza planejada. A Ocupação Vila Soma, em Sumaré (SP), é, ao mesmo tempo, fruto desse processo e uma resposta a ele. A Vila Soma se estabeleceu como um importante centro de resistência a esse modelo de cidade, atuando na luta pelo direito à moradia e à cidade e produzindo lógicas internas de organização democráticas, que promovem a formação de sujeitos políticos. Este artigo analisa a atuação da Ocupação Vila Soma na resistência à lógica da cidade corporativa e na luta pela cidadania territorial.

Biografia do Autor

Antonio Douglas Campos da Silva, Cotuca/Unicamp
Estudante do Cotuca/Unicamp, foi bolsista CNPq do PIBIC-EM.
Isadora Garcia, FEC/Unicamp
Estudante de Arquitetura e Urbanismo na Unicamp.
André Pasti, PPGH/USP
Mestre em Geografia (Unicamp), professor do Cotuca/Unicamp e doutorando em Geografia Humana na USP, bolsista CNPq.
Publicado
2018-05-12
Seção
Artigos