Avaliação ambiental e morfométrica da bacia do rio Jundiaí-Mirim: diagnósticos e subsídios para gestão ambiental

Cesar de Oliveira Ferreira Silva, Gerson Araujo de Medeiros

Resumo


A água é fundamental para a preservação ambiental, manutenção da biodiversidade e bem-estar humano, tornando-se essencial ao desenvolvimento sustentável. Assim, a análise e planejamento do uso e ocupação da terra deve passar pela análise da disponibilidade e segurança hídrica, fazendo-se necessário utilizar como unidade espacial de estudo a bacia hidrográfica. O presente trabalho avaliou a morfometria e uso e ocupação da terra na bacia do Rio Jundiaí-Mirim, SP, e mais especificamente em sua área de preservação permanente (APP), utilizando técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto e visitas de campo que verificassem as análises espaciais. Verificou-se que a morfometria indica que a bacia tem potencial para produção de água, mostrando tendência à conservação e menor escoamento superficial e risco de enxurradas, porém há ocupação irregular em mais de 80% da APP e identificou-se impactos ambientais negativos que prejudicam a qualidade ambiental das APP. Faz-se necessário intervenções de gestão ambiental para que a potencialidade de produção de água da bacia seja concretizada.


Texto completo:

PDF


ISSN: 2236-3637