Vetores de expansão urbana: análise da cidade de Campinas (SP)

Ciro Ruiz Vicente da Silva, Lindon Fonseca Matias

Resumo


Campinas se tornou, ao longo de sua história, uma grande cidade do interior paulista e em meio a tal processo sua estrutura urbana se desenvolveu, cresceu e se complexificou. Este artigo buscou mapear, com uso de geotecnologias, os principais vetores de crescimento da mancha urbana campineira no período 1842 a 2016 e entender como se deu a sua distribuição pelo território municipal. Neste sentido, é possível constatar que Campinas possui uma mancha urbana que se encontra conurbada em algumas direções com outros municípios da Região Metropolitana de Campinas e que seu principal vetor alcança dezoito quilômetros e se encontra distribuído na forma de uma mancha contínua no sentido sudoeste-nordeste, com pequenas áreas de dispersão pelo seu território, especialmente nas direções norte e nordeste, o que ajuda a entender uma série de problemas relacionados ao crescimento urbano campineiro.


Texto completo:

PDF


ISSN: 2236-3637