O patrimônio e seus demônios nas sociedades contemporâneas

  • Paulo Peixoto

Resumo

A intensificação dos processos de patrimonialização nas sociedades contemporâneas tem-se feito acompanhar pelo aumento dos níveis de profissionalização dos agentes que conduzem esses processos e por uma tirania da ideologia da participação. A partir do exemplo da transformação do “Ecce Homo” de García Martínez por Cecilia Giménez, argumentamos neste texto que a tirania da participação promove uma espécie de ideologia de escolha que revela precisamente como os processos de patrimonialização são avessos à participação cidadã. Daqui decorrem alguns dos dramas do patrimônio nas sociedades contemporâneas.
Publicado
2017-01-18