Microterritórios em escolas públicas: (entre)discursos de alienação e subversão de jovens escolares

Stéphanie Rodrigues Panutto, Rafael Straforini

Resumo


O objetivo desta pesquisa é compreender uma escola pública por meio de uma análise espacial de microterritorialidades no cotidiano escolar, envolvendo outros elementos como os discursos que permeiam as instituições escolares e as ações transgressoras/subjetividades rebeldes de seus sujeitos. Esses microterritórios dizem respeito em como os alunos se “auto-segregam” nos espaços físicos da escola por conta de suas identidades individuais e de grupo, passando a desempenhar um papel de resistência ao processo de homogeneização presente nas escolas por meio de currículos ocultos presentes na cultura escolar. A metodologia permitiu mergulhar no cotidiano através de uma pesquisa etnográfica e qualitativa a fim de ouvir e dar voz às partes envolvidas e analisá-las. As observações e as entrevistas mostraram que é possível visualizar estes microterritórios na sala de aula, no pátio e nos corredores da escola, e que os alunos diferenciam-se nos espaço-tempos da rotina escolar imprimindo uma territorialidade marcada pela diversidade e pelo antagônico. Portanto, enfatizamos a necessidade de pesquisar as escolas públicas brasileiras no seu contexto privilegiado que é o cotidiano.

Texto completo:

PDF


ISSN: 2236-3637