Análise das condições hidroclimáticas, hidrogeológicas e morfométricas da bacia hidrográfica do rio Guaribas, Ceará, Brasil: subsídios para a gestão ambiental local

  • Francisco Otávio Landim Neto Universidade Federal do Ceará
  • Adryane Gorayeb Universidade Federal do Ceará
  • Narcélio de Sá Pereira Filho Universidade Federal do Ceará

Resumo

A bacia hidrográfica é reconhecida como unidade para o manejo e gestão dos recursos hídricos;. Por ser bem delimitada, facilita a identificação dos processos de funcionamento do sistema hídrico. Nesse sentido, este estudo realiza a caracterização das condições hidroclimáticas, hidrogeológicas e morfométricas da bacia do rio Guaribas, setor oeste do Estado do Ceará, região Nordeste do Brasil. Esta bacia passa por uma série de transformações ambientais, resultantes da ação inerente à instalação do Complexo Industrial Portuário do Pecém (CIPP). Para tanto, foram analisadas (i) médias pluviométricas e de temperatura do período de 1974 a 2010 do município de São Gonçalo do Amarante, (ii) zonas de descarga, recarga e sentido do fluxo subterrâneo em um aquífero e (iii) características morfométricas. Conforme os resultados obtidos, é possível afirmar que o período de maior intensidade pluviométrica acontece entre os meses de fevereiro e abril, quando ocorre a reposição da água no solo, propiciando a capacidade máxima de armazenamento. Já a deficiência hídrica ocorre durante nove meses, iniciando-se em maio e prolongando-se até janeiro. Em relação às condições hidrológicas, é possível afirmar que as cotas piezométricas na área têm valores médios que variam de 2 a 30 metros, indicando a grande variabilidade de cotas do aquífero livre na área, o que potencializa a utilização de recursos hídricos subterrâneos. Conforme análise das características morfométricas da bacia hidrográfica, é possível afirmar que ela se mostra pouco susceptível a enchentes em condições normais de precipitação, apresenta baixa capacidade de drenagem e que o canal principal da bacia tende a ser transicional, entre retilíneo e tortuoso.

Biografia do Autor

Francisco Otávio Landim Neto, Universidade Federal do Ceará
Graduado em Geografia na modalidade Licenciatura pela Universidade Federal do Ceará - UFC (2010). Possui mestrado em Geografia (2013) pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente cursa doutorado na referida instituição. Integra o Laboratório de Geoecologia da Paisagem e Planejamento Ambiental - LAGEPLAN e o Laboratório de Geoprocessamento LABOCART, vinculados ao Departamento de Geografia. Tem experiência na área de Cartografia Social, Planejamento Ambiental em Bacias Hidrográficas, atuando nos seguintes temas: Análise Integrada da Paisagem, Geoprocessamento e Educação Ambiental.
Adryane Gorayeb, Universidade Federal do Ceará
É Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (2006-2008), Mestre em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (2003-2004), Bacharel e Licenciada em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (1999-2003) e Técnica em Turismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (1995-1998). Atualmente, é Professora Adjunta II do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará, Vice-Coordenadora da Pós-Graduação em Geografia da UFC e Coordenadora do Laboratório de Geoprocessamento do Departamento de Geografial da UFC, atuando principalmente nos seguintes temas: gerenciamento integrado de recursos hídricos, bacia hidrográfica, análise integrada das paisagens e mapeamentos temáticos. Possui artigos publicados em revistas científicas de circulação nacional e internacional, orienta trabalhos de graduação e pós-graduação e participa de projetos de pesquisa e extensão nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.
Narcélio de Sá Pereira Filho, Universidade Federal do Ceará
Licenciado em Geografia pela Universidade Federal do Ceará. - UFC (2011). Atualmente está cursando o mestrado em Geografia pela UFC. Integrante do o Laboratório de Geoprocessamento - LABOCART, vinculado ao Departamento de Geografia. Tem experiência na área de Geoprocessamento, atuando nos seguintes temas: Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto, Sistemas de Informação Geográfica - SIG, Mapeamento Geoambiental, Planejamento e gestão da zona costeira, zoneamento ambiental integrado e Cartografia Social.
Publicado
2014-08-26
Seção
Artigos